Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Memórias

27.12.17

Neste Natal, uma memória há muito desaparecida surgiu inesperadamente e convocou-me para vidas anteriores e para caminhos antigos que divergiram algures no tempo para nunca mais se cruzarem. Como a nossa memória nos esconde tanto. O que somos é genética e a soma do que nos aconteceu, mas o que nos aconteceu é tão volátil e subtil. O passado só existe em nós, enquanto guardamos dele algum vestigio. “Quando eu morrer, nada do nosso amor terá alguma vez existido” escreveu Jean Dupuy, mas creio que se enganou, porque o amor deixa de alguma vez ter existido no momento em que um dos amantes o esquece.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Links

  •  

  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2016
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2015
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D