Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma amiga perdeu recentemente o bebé no início da gestação. Considerando as dificuldades que teve para engravidar (teve de recorrer a várias tentativas de fertilização, com um enorme desgaste emocional) creio que não terá a coragem para voltar a tentar.

 

Cada um de nós representa uma linha de vida com milhões de anos que, de antecessor a antecessor, nos levaria até ao primeiro organismo vivo deste planeta. E sempre que um ser vivo morre sem deixar descendência essa linha de vida quebra-se irremediavelmente. Na vida do nosso planeta existiram incontáveis linhas de vida e apenas uma porção infinitamente pequena dessas linhas vida chegou até aos dias de hoje. Todos nós temos nas nossas costas o peso de todos os nossos antepassados.

 

Por este motivo sinto sempre profunda tristeza quando alguém, apesar de o desejar, não consegue ter filhos. Não questiono a opção de cada um de querer ou não querer ter filhos, mas querê-lo e não o conseguir, seja por motivos físicos, sociais, financeiros ou qualquer outro, deve ser devastador. O nosso instinto de reprodução é certamente algo de profundo em nós, inscrito nos genes, afinal todos os nossos antepassados tiveram esse instinto. Suponho que seja uma dor profunda, um sentimento de amputação que chega do âmago do nosso ser com origem nos nossos mais antigos antepassados. Há sentimentos para os quais nos faltam palavras, e este é um deles.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Links

  •  

  • Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2016
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2015
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D