Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A filosofia milenar budista refere que existem determinadas causas que são a origem de todos o sofrimento. Se não as soubermos controlar, podem crescer dentro de nós como demónios malignos, como ervas daninhas, como venenos que nos invadem, acabando por dominar o espírito e provocando sofrimento. São elas, singelamente, apenas três: a cobiça, a raiva e a ignorância. No budismo, chamam-se os três venenos ou as três contaminações. E saber estar atento à sua presença, conseguir dominar estes demónios desde que nascem e antes que nos contaminem o espírito, é na verdade um dos fundamentos da arte de viver em paz na nossa mente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O artefacto

14.10.16

A Nora.JPG

 

Nora, Rio Águeda, 2016 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nobel

14.10.16

How many roads must a man walk down
Before you call him a man?
How many seas must a white dove sail
Before she sleeps in the sand?
Yes, and how many times must the cannon balls fly
Before they’re forever banned?

The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind.

Yes, and how many years can a mountain exist
Before it is washed to the sea?
Yes, and how many years can some people exist
Before they’re allowed to be free?
Yes, and how many times can a man turn his head
And pretend that he just doesn’t see?

The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind.

Yes, and how many times must a man look up
Before he can see the sky?
Yes, and how many ears must one man have
Before he can hear people cry?
Yes, and how many deaths will it take ‘til he knows
That too many people have died?

The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind.

 

Bob Dylan (1963)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


1.
Get enough food to eat,
and eat it.


2.
Find a place to sleep where it is quiet,
and sleep there.


3.
Reduce intellectual and emotional noise
until you arrive at the silence of yourself,
and listen to it.


4.

 

Richard Brautigan

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Karma

11.10.16

A palavra Karma ganhou no ocidente um uso comum muito associado ao conceito de destino, de fatalidade, de impotência perante o que nos acontece. A palavra Karma é uma palavra que em sânscrito significa literalmente “ação”. O conceito de Karma no Budismo significa que o resultado das nossas ações ou intenções, de forma direta ou indireta, mais tarde ou mais cedo, irão influenciar o que nos acontece. As ações do Homem têm consequências, isso é o Karma. Este termo Budista coloca assim o destino nas nossas mãos, o que não deixa de ser reconfortante, mas que representa simultaneamente uma enorme responsabilidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O sentimento de saber que o mapa do tempo nos dirige à tristeza, à injustiça da vida e da morte e ao abismo do que não tem retorno. É total a impotência para abrandar o tempo. Se nada podemos contra o destino (o acaso), porquê fazer algo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Reflexos na água.JPG

 

Lost Valley of Ramila, 2016

Autoria e outros dados (tags, etc)

A manhã raia. Não: a manhã não raia.
A manhã é uma cousa abstracta, está, não é uma cousa.
Começamos a ver o sol, a esta hora, aqui.
Se o sol matutino dando nas árvores é belo,
É tão belo se chamarmos à manhã «começarmos a ver o sol»
Como o é se lhe chamarmos manhã;
Por isso não há vantagem em pôr nomes errados às cousas,
Nem mesmo em lhe pôr nomes alguns.

 

Alberto Caeiro

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Os limites da minha linguagem são os limites do meu mundo.

 

Wittgenstein

 

A linguagem é a estrutura da nossa mente, são as paredes, os muros, as portas e os caminhos do nosso mundo. É o mapa por onde os nossos pensamentos se orientam. Não é que seja impossível pensar para lá deste mapa, mas é muito mais complicado. Simultaneamente a linguagem impõe limites (paredes, telhados e muros) e facilita e direciona (portas, estradas e caminhos) o pensamento. Mas para libertar-nos da linguagem no pensamento temos que conseguir voar por cima de tudo isso, pensar de forma abstrata, com as entranhas. Mas depois é preciso comunicar. E aí temos novamente que reduzir o nosso pensamento aos limites da linguagem, ou da arte, num trabalho limitador de desconstrução.

 

Os nossos pensamentos estão condenados a viver verdadeira e completamente apenas na nossa mente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A man said to the universe:
"Sir I exist!"
"However," replied the universe,
"The fact has not created in me
A sense of obligation."

Stephen Crane

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor



Links

  •  

  • Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D