Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

rua do imaginário

Porque existe algo em vez do nada?

Porque existe algo em vez do nada?

rua do imaginário

16
Nov17

Hiper-objecto

O filósofo Timothy Morton, cunhou o termo hiper-objecto para se referir a entidades complexas, distribuídas no tempo e no espaço a uma escala que nos transcende. Um dos exemplos de hiper-objecto de Morton, com uma obra que incide fortemente na questão da ecologia, é o aquecimento global.

 

Creio que o conceito de hiper-objecto é especialmente útil para traduzir a noção de que existem no Universo entidades que estão fora de alcance da nossa compreensão. É extraordinariamente presunçoso pensarmos que tudo o que existe no Universo tem que ter um nível de complexidade que seja compatível com o Homem. Todo o acto de perceber a realidade é simultaneamente um acto de simplificação da realidade até ao nosso nível de compreensão. É isso que a ciência faz. Mas temos que admitir que existe a forte possibilidade de existirem coisas no Céu e na Terra que simplesmente estejam fora do alcance do nosso cérebro.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.