Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

rua do imaginário

Porque existe algo em vez do nada?

Porque existe algo em vez do nada?

rua do imaginário

31
Ago15

Mundo apocalíptico

Quase 30 anos após o desastre nuclear de Chernobyl, em Abril de 1986, a vida vegetal e animal floresce agora na região que os humanos tiveram de abandonar precipitadamente. Depois do maior desastre nuclear de sempre, a zona de exclusão tornou-se uma involuntária reserva animal onde a Natureza agora prospera aparentemente sem sinais evidentes dos efeitos da forte radiação. Esta situação surpreendeu os cientistas. O Homem não poderá viver naquela zona por milhares de anos, mas na Natureza não são visíveis um nível anormal de mutações. As construções abandonadas tornam-se agora abrigo para uma fauna radioativa abundante, incluindo várias espécies que a ocupação humana tinha erradicado da zona há dezenas de anos.

 

O que os estudos que decorrem na zona concluem é que a normal presença humana foi muito mais lesiva para a vida animal que o desastre nuclear. Chernobyl é um exemplo do que seria o nosso planeta num cenário pós-apocalíptico nuclear. E a Natureza revela uma capacidade extraordinária de adaptação, que já permitiu à vida sobreviver e regenerar-se a várias extinções massivas por alterações radicais nas condições na Terra. Apesar da nossa inconsciência, o que parece é que não será a voracidade do Homem capaz de acabar com a vida na Terra.

 

O Homem necessita da Natureza mas a Natureza não necessita do Homem. A longo prazo é portanto só a nós que prejudica a nossa falta de respeito pela restante vida do planeta onde vivemos. A Terra continuará depois de nós.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.