Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

rua do imaginário

Porque existe algo em vez do nada?

Porque existe algo em vez do nada?

rua do imaginário

24
Fev20

O tempo não existe, somos nós que o fazemos

 

Pois não era mais humano

morrer por um bocadinho,

de vez em quando,

e recomeçar depois,

achando tudo mais novo?

José Gomes Ferreira, Viver sempre também cansa!, 1931

 

Nada nos é tão precioso nem tão íntimo como o tempo, o nosso tempo, neste instante de existência perdido na eternidade. Para se ser feliz tudo o que é preciso é estar em paz com o tempo, essa criação individual, essa ilusão íntima criada para unir um fluir de eventos. Não existe nenhum pêndulo Universal a impor-nos o ritmo do tempo, esse ritmo é só nosso e é único.

 

A previsibilidade das nossas rotinas de vida, a repetição de horários, a ausência de surpresa e a habituação ao que nos acontece, tudo isto contribui para aumentar a sensação de velocidade com que o nosso tempo passa. Quando estamos num ambiente diferente do habitual, numa viagem, numa experiência nova, perante o que nunca experimentámos, do inesperado temos a noção de que o tempo passa mais devagar. A nossa mente está a absorver o que nos rodeia e temos a clara sensação de que o tempo decorre mais lentamente.

 

Será então solução evitar as rotinas? Receio que seria tarefa impossível. Porque a rotina é também ela uma criação da nossa mente. A ausência de rotina vai ser ela própria uma rotina, quer queiramos quer não, mais cedo ou mais tarde.

 

Como travar a velocidade do tempo? Morrer um bocadinho de vez em quando para depois achar tudo mais novo, como escreve o poeta, não nos é possível. Mas é possível estar focado no presente e mantermos a mente admirada com tudo o que nos rodeia. Estar grato por cada segundo em que estamos vivos. Olhar para o mundo com os olhos de uma criança, espantados com o que nos rodeia, com a beleza que há em tudo. É tão fácil manter um sentimento do maravilhoso perante o Universo. Em tudo há beleza e mistério se estivermos dispostos a reparar nisso. Só a sabedoria de manter uma alma espantada perante o mundo nos pode salvar da voragem alucinante do tempo.

 

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.