Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

rua do imaginário

Porque existe algo em vez do nada?

Porque existe algo em vez do nada?

rua do imaginário

15
Nov17

Sentido do “eu”

Se podemos pensar, legitimamente, que aquilo que somos e o resultado da nossa vida não passa de um conjunto de casualidades que nos conduziram ao que somos (se repetirmos a nossa vida o resultado seria totalmente diferente), também se pode pensar, sendo o mundo regido por um conjunto de regras determinísticas (perante as mesmas condições o resultado é sempre o mesmo), que tudo o que nos aconteceu só poderia ter acontecido dessa forma.

 

A ironia do sentido da vida é que temos que escolher entre sermos definidos essencialmente pelo acaso ou por regras exatas. Nenhum dos cenários nos deixa espaço para a autodeterminação. Em ambas as opções pouco sobra da nossa meticulosa construção do significado e da importância do “eu”.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.