Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

rua do imaginário

Porque existe algo em vez do nada?

Porque existe algo em vez do nada?

rua do imaginário

29
Jul15

Where is everybody?

Aplicando ao vasto número de estrelas existentes no Universo critérios de probabilidade para as várias etapas que permitem o surgimento de uma civilização tecnológia, a existência de planetas com condições para albergarem vida e em que adicionalmente a vida se tenha de facto desenvolvido e que tenha sido possível chegar a um estágio de evolução que lhe permita formar uma civilização tecnológica, chegamos invariavelmente à conclusão que o Universo deve estar, tem que estar, habitado por uma míriade de civilizações inteligentes. Por mais pessimistas que sejam os fatores de probabilidade considerados para cada um destes eventos, a sua conjugação com a quantidade verdadeiramente astronómica de estrelas existentes resulta sempre num número extremante elevado de potenciais civilizações tecnológicas.

 

Então, porque é que não temos notícia destas civilizações? Esta questão é conhecida como o paradoxo de Fermi: conta-se que o físico Enrico Fermi ao olhar para o céu estrelado a sua pergunta foi: where is everybody?

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2017
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2016
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2015
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.